segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Monografia: Minha experiência + Dicas

Oi oi pessoal!
Hoje o post é diferente. Não é sobre maquiagem, nem moda e nem cosméticos. É sobre a minha experiência com a tão temida monografia. Para quem não sabe, eu estou cursando o último semestre do curso de direito.
Então vamos ao início...
*Minha experiência:
Em agosto de 2013 começou a minha saga pela escolha do tema da monografia. Eu já sabia que iria fazer o estudo dentro da área de direito penal, uma vez que é área que eu mais me identifico. No entanto, o tema que eu queria fazer era um tanto impossível.
Eu queria fazer sobre as falhas periciais ocorridas no caso Ana Lídia. Para quem não sabe, Ana Lídia foi uma criança assassinada aqui em Brasília, cujo assassino nunca foi descoberto e condenado. O caso teve muitas falhas nas perícias, ou seja, por algum motivo não foram realizadas as perícias essenciais para a resolução do caso. Para mais informações sobre o caso clique aqui.
No entanto, para fazer sobre esse tema, seria necessário ler o processo inteiro do caso. Fui atrás, liguei no TJDFT, informei que eu era estudante de direito e que tinha interesse em fazer o meu estudo monográfico sobre o caso Ana Lídia. Eles me deram acesso ao processo, o qual faz parte de um museu histórico do TJDFT. Não obstante, o processo conta com 6 caixas de volumes, o que seria impossível ler e estudar tudo em 8 meses. Outro empecilho, é que o assunto carece de referências bibliográficas.
Ao refletir sobre o fato de que o caso Ana Lídia já havia atingido o prazo prescricional, isto é, mesmo que o assassino venha algum dia confessar o crime ele não sofrerá condenação, eu percebi que não é justo que alguém que tirou a vida de outrem usufrua da possibilidade de ficar impune.
Destarte, surgiu o tema da minha monografia: “Prescrição penal e impunidade: Uma análise do prazo prescricional no homicídio doloso e a possibilidade de novas hipóteses de imprescritibilidade no ordenamento jurídico”.

Em fevereiro de 2014 comecei a escrever. Meu orientador estava sempre me aconselhando a mudar de tema. Isso porque, de certa forma, eu estava defendendo a imprescritibilidade do homicídio doloso, tema espinhoso e polêmico.
Mas eu, firme e forte, decidi prosseguir com o tema. A minha citação preferida é a do George Herman Ruth – “Never let the fear of striking out keep you from playing the game”, que significa em português: “Nunca deixe o medo de errar impedir que você jogue”.
Levo essa frase como motivação para a minha vida e assim fiz com a minha monografia. Apesar do medo que eu estava de ser atacada na defesa na banca, em razão do tema, eu continuei com ele.
Sexta passada, dia 17/10/2014, eu defendi minha monografia na banca.
Eu estava muito nervosa e muito ansiosa, mas graças a Deus deu tudo certo. Defendi, fui elogiada e aplaudida. Ao fim, pude perceber que a monografia e a banca não são nenhum bicho de sete cabeças como dizem por ai...
* DICAS
1) Para escolher o tema:
Em primeiro lugar, escolha um tema que você ame. Procure a área do seu curso que mais te agrada e dentro dessa área escolha o tema. Gostar do tema é essencial, a monografia fica muito mais desenvolvida. Os professores da minha banca mencionaram que da leitura da minha monografia ficava bem explícita a minha paixão pelo tema.
2) Para escrever a monografia:
Tenha disciplina. Eu escrevia um pouco todo dia. Sem disciplina, é difícil terminar uma monografia. E se você seguir o passo 1 (gostar do tema), não vai ter problemas nenhum em escrever um pouco todo dia, isso porque você vai ter vontade de escrever, já que gosta do tema, e tudo se tornará mais fácil. E escreva tudo que achar importante! O importante é escrever, depois é que será feita a reorganização dos tópicos da monografia, junto ao seu orientador. 
3) Para se preparar para a banca:
Aqui em Brasília nós chamamos de banca, não sei se em outras cidades tem outro nome. Mas nada mais é do que apresentar seu tema e defender seu posicionamento/tese. 
  • Para acalmar os nervos eu tomei Bryophyllum Argento Cultum. É um medicamento natural, da Weleda, que acalma. Ele é usado para diminuir a ansiedade, angústia, irritação, problemas de insônia... Eu comecei a tomar uma semana antes da banca. Tomava 20 gotas de manhã e 20 gotas antes de dormir. Como ele é natural, pode ser usado por qualquer pessoa, com exceção das grávidas e quem está amamento, devido ao fato que contém álcool (informações da bula).

  • Para a apresentação/defesa na banca, eu comecei a me preparar com uma semana de antecedência. Li os principais pontos da minha monografia e fiz um resumo. Depois fiz tópicos dos principais pontos do resumo e fui ensaiando a apresentação. Apresentei para as amigas, para os meus pais, sozinha.. Até conseguir apresentar sem esquecer de nenhum ponto. Quando estava dirigindo eu também aproveitava para falar toda a minha defesa. Quando chegou na hora, eu senti que estava preparada para apresentar, mas não estava preparada para responder eventuais perguntas. Por isso, utilizei a dica 4.
4) Reze muito! kkkk

5) Para ter um trabalho bem feito:

Pare de estudar para as outras coisas e foque apenas na monografia! Agora que a minha passou eu vou voltar aos estudos de uma concurseira. Mas o foco é muito importante, fazer uma coisa de cada vez é muito importante. No meu caso, que estudo Direito, se eu estivesse estudando para a OAB, fazendo a monografia e estudando para concurso, tudo ao mesmo tempo, nada iria fica bom. Então, para um bom resultado, é necessário o foco. 

Bom pessoal, resumindo, tenha disciplina, se dedique e tudo dará certo! Cada um tem o que merece, e se você se dedicou de verdade para a monografia e a apresentação, você vai ter uma bela aprovação e elogios. 

Espero que tenham gostado.
Qualquer dúvida sobre o meu tema é só comentar abaixo que eu passo meu email para contato para poder esclarecer as dúvidas.

Espero que tenha ajudado e boa sorte para quem também está nessa fase da graduação!

Beijinhos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário